Sexo gostoso no velório

Eu tinha um amante que ao inclusive tempo era como se fosse meu cunhado. Vou esclarecer melhor.
A mulher dele era minha meia Freira, filha somente do meu agente. Tínhamos um bom entrosamento. Aproximadamente constantemente aparecia na casa dele, eles tinha uma filha a Susi, de seu 13 anos. Eu constantemente tive uma tara por ela e pela minha meia freira, a Joelma. Porem ele pegava forte, constantemente de atenção, uma vez que sabia da minha tara, por elas. Ele constantemente falava que enquanto estive-se acalorado eu de modo algum iria fuder elas. Mais no momento em que dava uma aberta, eu aproveitava para mudar a mão na bundinha e na bucetinha de Susi. Isso me levava a alienação uma vez que a danadinha constantemente deixava, tinha vez que até parece que sabia que ia rola, constantemente aparecia sem calcinha. Teve um dia que no momento em que eu aparecia alisando a bucetinha dela, ela começou a abalar uma punheta em mim, aproximadamente que fomos abismo em flagrante. Bem o tempo foi passando, e cada vez ficava mais atrevido. Teve um certamente dia que ele aparecia no banheiro tomando banho e eu dei uma encoxada na assento da minha meio freira. Por pouco não fudemos então inclusive. Bem mais vamos ao que resultou realmente. No momento em que Ricardo faleceu, era por costume naquela data o velório ser realizado na casa O velório corria como de costume. A uma pela certa momento, notei que Susi foi para seu quarto. Com o objetivo de consola, fui similarmente. Ao alcançar no seu quarto, sentei-me ao seu lado na cama. E abracei acariciando seus cabelos. Aqui ela deitou sua cabeça em meu bocal. Ao sentir seu anverso em meu bocal, meu caralho logo ficou difícil de atração. Vi que ela notou a acerto do meu caralho. Porem não reclamou, bastante pelo contrario, virou a sua boca de abalroamento com o meu caralho, por cima do bermuda. Aproveitei e coloquei a minha mão na sua bucetinha. Como ela aparecia de calça comprida, fiquei alisando por cima da calça inclusive. Não demorou ela se levantou e retirou a calça, ficando somente de calcinha e blusa. Retirei o meu caralho para fora da minha calça. Ela veio e se sentou, com as pernas aberta, aproveitei repuxei um tanto a calcinha dela, e enfiei o meu caralho por dentro, sentindo aquela bucetinha, lizinha e carequinha. Eu tava doidinho de desejo de enfiar o meu caralho todinho dentro daquela maravilha. Porem ela pediu que eu espera-se mais um tanto. Ficamos nos sarando, já não me aquentava de tanto atração que aproximadamente a peguei a vigor. Foi no momento em que ela abaixou-se e enfiou o meu caralho todinho na sua boca, fazendo um agradável boquete. Em seguida disto ela me pediu que eu enfia-se o meu caralho em seu cuzinho. Arrazoado que adorei está idéia. A coloquei de quatro, areganhei seu cuzinho e enfiei o meu caralho de uma vez apenas naquele cuzinho agradável. Em seguida disto ela se levantou e saiu, fiquei um tanto abatido, uma vez que queria bastante levar aquele cabacinho. Continuava então assentado na cama dela pelado, no momento em que derepente minha meia freira entra. Levei um baita abalo, mais logo fui acalmado com ela sentando em meu bocal. Como ela aparecia vestindo um abafado rodado preto, ficou bem possível o meu caralho abordado na sua buceta, inclusive por cima de sua calcinha, que parecia que a bastante tempo queria absorver o meu caralho. Ela levantou-se encostou um tanto a acesso do quarto, e ficando nuazinha em minha frente. Por isso comecei a chupar sua buceta enquanto enfiava um aptidão em seu cuzinho. Não demorou bastante deitei-a na cama da Susi e areganhando suas pernas comecei a fuder aquela buceta que tanto me dava atração. No momento em que estávamos gozando Susi entrou no quarto, ao vê-la entrando o meu atração aumentou mais. Ela foi deitando ao meu lado, e eu comecei a enfiar um aptidão na sua bucetinha. Nossa minha meia Irma gemendo e rebolando de atração em meu caralho e eu com um aptidão na bucetinha de Susi. Logo dessa maneira que a minha meio freira gozou, fiquei um tanto deitado para abastecer as minhas energias. Logo dessa maneira que as refiz, e com a Susi então do meu lado, areganhei sua pernas e comecei a mandar o meu caralho na sua bucetinha. Ela sussurrou em meu ouvido. Bota bem lentamente para eu sentir está gostosura tirando o meu cabaço. E dessa maneira o fiz. E por fantástico que pareça isso resultou no velório do meu colega. Em seguida do enterramento também nos fudemos mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *