O medroso

Cheguei no quintal da casa do meu tio, estava com uma mala cheia de roupas para usar nessa semana, e meus pais fizeram questão de me deixar lá, como se estivessem se livrando de um importuno.

Bati na porta da velha casa e logo titia me recebe. Estava usando uma camisola e nela pude perceber duas protuberâncias grandes, seus seios. Ela me recebe com um sorriso e me permite entrar na casa.


-Oh, meu sobrinho querido, já faz tempo que não nos vemos não é?

Eu assenti timidamente, olhando disfarçadamente os bicos de seus seios.
-Vamos, vou mostrar seu quarto!

Ela andou em minha frente e pude perceber a massa de sua bunda fazer relevo na camisola branca, senti um desejo de aperta-la mas me censurei rapidamente.

-Olha querido, este é seu quarto!

Era bem vazio, só uma cama, um armário e um criado-mudo, e além disso as paredes eram cinzentas.

-Cadê o tio?

perguntei enquanto tirava as roupas da mala.

-Ele está de férias já faz algumas semanas… só estamos eu e você aqui.

Ela me respondeu sorrindo e depois saiu. Eu fiquei um tempo arrumando as coisas e depois fui jantar com ela. Nada de tão interessante, ela só falou sobre as vizinhas e sobre a viagem do meu tio. Eu não parei de olhar os seios dela.

Enfim havia chegado a hora de dormir, e quando todas as luzes se apagaram eu não consegui fechar meus olhos, cada barulho que ouvia me assustava mais ainda.
-Droga! Odeio isso!

Eu disse para mim mesmo. Eu estava cada vez mais desconfortável com aquele quarto imenso e vazio. Foi então que decidi, em plena meia noite, ir ao quarto de minha tia. Bati duas vezes na porta.
-Sim querido? por que está acordado a essa hora?
-Estou sem sono tia…
-hum…por quê não tenta relaxar e dormir? uma hora o sono vem…
-A senhora poderia fazer uma massagem em mim? primeiro eu faço na senhora, percebi que esta cansada esses dias… Eu faço nas suas costas e nos seus pés…

Ela pensou por alguns segundos.

-Tudo bem, você faz nos meus pés e nas minhas costas tá bom?
-Sem problemas tia!

Ela entrou no quarto junto comigo, o dela era bem mais enfeitado e cheio de armários e panos, bem mais aconchegante que o meu. Ela se deitou na cama e eu comecei a mexer no seu pé.
-Sabe Pedro, eu sinto falta do seu tio…
-Eu imagino, ele é bem legal…
-É…Oooh!

Ela levantou a cabeça e gemeu para cima.

-Pedro! Que massagem gostosa!

Ela estava com o torso levantado mas deitou para relaxar, e do ângulo que eu estava, pude ver um pouco da sua calcinha entre as polpas da bunda e um pouquinho da sua vagina peluda.

-Ai! Faz tempo que não recebo uma massagem tão boa!

Fiquei por uns cinco minutos revezando entre os pés e finalmente paro e digo para ela:
-Agora a senhora pode ficar de costas pra mim e eu vou massagear suas costas!

Ela prontamente se deitou de bruços, eu subi na cama e fiquei do lado dela.

-Pera aí!

Ela abaixou a camisola e assim revelou suas largas costas. Eu começei a massagea-la
-Uuuh!Ooooh!Muaaah! Pera que eu vou tirar esse sutiã que ta atrapalhando!

Ela desabotoou o sutiã e deitou novamente. Ela dava gemidinhos leves conforme eu apertava suas costas. Eu continuei por uns dois minutos e fiz algo bem arriscado: Eu montei nas pernas dela e sua bunda estava de frente pra mim(mesmo coberta pela camisola) e assim ficou melhor para mim massagea-la.

-Tia assim é melhor!
-Não tem problema querido, você faz uma massagem muito gostosa!

Eu voltei a massagea-la e aos poucos fui me aproximando da bunda dela, meu penis estava quase encostando na polpa.

-Nossa Pedro, você sabe fazer massagem! Titia ta adorando…

Ela estava bem relaxada e frouxa na cama, meu pênis ficou rigido como pedra fazia tempo e agora ele estava quase saltando do short. Eu ousei um pouco mais e aproximei ele mais ainda da bunda dela, quase colando. Senti a massa de sua bunda por cima do meu pênis.
-Pedro?!
-Desculpa tia!

Ela levantou o torso e viu o volume no meu short.
-Oh querido, não tem problema…é a puberdade não é? eu o perdoo dessa vez, só não faça de novo!
-Desculpa, foi sem querer!
-Dessa vez passa…Pode voltar a me massagear!

Voltei a massagea-la e percebi que ela começou a dormir, então pude ouvir seus roncos. Era minha chance. Eu cheguei e colei meu pênis entre as polpas da bunda dela e senti sua vagina molhada e quente. Eu esfreguei meu pênis bem devagar e gostoso, comecei a babar também, minha respiração ficou forte.

Eu parei por uns segundos e tentei me controlar, mas derrepente um desejo selvagem me dominou. Eu abri o zíper do short e abaixei a cueca, e lá estava meu pênis vermelho e faminto. Encostei a cabecinha na bunda dela mas parei pois derrepente tive uma idéia.

Me ajeitei em cima dela de um modo que eu pudesse botar minha cabeça na bunda dela. Então fiz isso, afastei um pouco a camisola e a calcinha e comecei a lamber a vagina dela. Ela soltou um gemido e virou a cabeça para a direita, ainda deitada.
-Tia?

Nenhuma resposta.

Voltei a lamber a vagina dela, senti o gosto maravilhoso e o cheiro dela, apesar de peluda, era bem cheirosa e eu não tinha preconceitos bobos com isso. Ela começou a gemer de prazer.
-Aaai meu sobrinho! Continua vai!

Eu enfiei mais profundamente minha língua e ela começou a apertar o travesseiro e respirar ofegante.
-Vai continua vai!Ta gostooooso!Huummmmmm!

Fiquei uns dois minutos assim até que parei e disse:
-Acabou seu tempo titia, agora é minha vez de relaxar…
-Mas já?Poxa!
-Mas acredito que o que eu quero fazer também vai te relaxar um pouco…
-O que é?
-Eu posso enfiar meu pênis na sua vagina?
-O quê?…
-Por favor! Vai me fazer relaxar!
-Tá bom, tá bom, mas sem muita safadesa tá bom? só dá umas metidinhas e goza fora…
-Pode deixar!

Eu sai da cama e tirei o short e a camisa, abaixei a cueca apressadamente, percebi que havia alguns pelos no meu saco, mas mesmo assim subi na cama e me preparei. Meu pênis estava vermelho e ardendo de desejo.

Afastei a camisola dela e tirei a calcinha, e lá estava sua vagina suculenta e quente. Enfiei meu pênis carinhosamente e gemi como um animal.
-Oooooooh!

Eu soltei outro gemido forte ao penetrar todo meu penis, senti meu pênis ser engolido e envolvido pela carne quente e os músculos da vagina se contrairem apertando ele. Era uma sensação gostosa. Minha tia falou ofegante:
-Uuuuuuh !Aaaaaii! Que gostoso!

Minha tia gemia e apertava o travesseiro, gemia a cada bombada que eu dava.
-Vai! Vai! Vai! Aaaaiin que gostoso! Vai meu sobrinho querido!

Eu comecei a ir e vir com o meu pênis umas vinte vezes e bem devagar, senti o esperma vindo derrepente.
-VOU GOZAR!

Eu rapidamente pus meu pênis no meio das polpas da bunda dela e o esperma saiu quente e cremoso no meio, escorrendo pelas curvas da bunda e descendo na vagin. Soltei uma rajada na bunda e a outra na vulva da vagina.

Pra relaxar eu pus meu penis entre as nádegas dela e deitei em cima dela, e fiquei ofegando e soltando gemidos graves. Meu corpo tremia e eu fiquei todo desengonçado em cima dela, meio frouxo.
-Você gozou rápido querido…
-Você disse só umas metidinhas…
-Foi gostoso mesmo assim, amanhã eu compro uma camisinha e você pode enfiar ate esgotar todo seu esperma querido…

Dormimos ali mesmo por umas duas horas até quando ela me acorda e a gente foi tomar banho juntos. E lá no banheiro fiz mais umas safadezas.

No final das contas eu passei a dormir lá as férias inteira, sempre gozando gostoso com ela antes de dormir. Meu tio chegou das férias e eu voltei pra casa, mas eu sempre dava um jeito e a gente se encontrava para transar, mas ai são outras histórias.

Gostou? A versão com imagens e a continuação estão nesse link:
/>

One thought on “O medroso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *